Entenda o que é e como funciona o comissionamento de Sistemas de Medição de Faturamento (SMF)

Entenda o que é e como funciona o comissionamento de Sistemas de Medição de Faturamento (SMF)

6 de dezembro de 2021 0 Por David Silva

Neste artigo buscamos trazer informações como o que é e como funciona o comissionamento de Sistemas de Medição de Faturamento (SMF). Abordaremos o conceito destes sistemas, normas vigentes e os resultados esperados no fim de um comissionamento.

Primeiramente,  precisamos entender o significado de comissionamento e como é composto um sistema de medição de faturamento.

O que é comissionamento?

O Comissionamento é um processo que tem como objetivo assegurar que os sistemas e os seus componentes estejam de acordo com os requisitos e necessidades operacionais do cliente, no que diz respeito ao projeto, instalação, testes e operação. Tem por objetivo também garantir que as normas técnicas de segurança foram seguidas e que quando em operação, todo o sistema opere de forma eficiente, confiável e segura.

O que é o SMF?

O SMF, ou Sistema de Medição de Faturamento, é responsável por apurar o montante de energia produzido e consumido entre agentes. O sistema é composto principalmente pelos seguintes componentes:

  • Medidores de energia
  • Transformadores de Instrumentos – TI
    • Transformadores de Potencial
    • Transformadores de Corrente
  • Canais de comunicação entre os agentes e CCEE
  • Sistemas de coleta de dados de medição para faturamento

Agora que você já sabe o que é Comissionamento e SMF, vamos à explicação de como funciona o comissionamento de um Sistema de Medição de Faturamento.

 

Como funciona o comissionamento de um SMF

Primeiramente, é preciso saber que as especificações e as diretrizes a serem seguidas para o comissionamento de um SMF são baseadas no Procedimento de rede 7 do ONS no submódulo 7.11 – Implantação do Sistema de Medição para Faturamento.  O processo  se inicia na Definição da localização do ponto de medição, onde o agente responsável pelo SMF solicita à Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE o parecer de localização do ponto de medição conforme estabelecido em Procedimentos de Comercialização. Na sequência, inicia-se o processo de elaboração do projeto de medição do SMF seguindo as diretrizes do submódulo 2.14, esse será o projeto de medição utilizado na etapa de comissionamento. Após a elaboração do projeto, ele é submetido à aprovação do ONS. Sendo aprovado, segue para a montagem em campo e, finalmente, o comissionamento.

 

Comissionamento

O agente responsável pelo SMF convoca o agente conectado (concessionária, transmissora, distribuidora) e os responsáveis pela execução do comissionamento (por exemplo, uma empresa como a Metrum).

O passo a passo do comissionamento, assim como o projeto de medição, é conduzido baseando-se nos Procedimento de Rede,  item 1.5.4 do submódulo 7.11, conforme pode ser observado a seguir:

Verificar o aterramento dos equipamentos que o exigem

Durante o comissionamento as equipes devem checar todos os pontos de aterramentos, sejam eles dos equipamentos ou da blindagem dos cabos de medição.

Verificar as condições de isolamento do cabeamento secundário dos TI e dos medidores

Os cabos de medição são aqueles conectados nos secundários dos TCs e TPs. Esses cabos devem estar íntegros e com sua isolação em perfeito estado.

Verificar a polaridade dos TI

A polaridade deve ser verificada e analisada baseando-se  no projeto. A forma de conexão tanto do primário quanto do secundário pode influenciar diretamente no sinal que chega ao medidor e, consequentemente, na forma como os dados são gravados e lidos pelo SCDE. Esse se torna um dos pontos mais importantes a serem checados.

Verificar a interligação secundária dos TI aos painéis ou aos cubículos de medidores

É necessário verificar as conexões entre o secundário dos TCs e TPs até os bornes de entrada dos painéis ou cubículos.

Verificar a fiação interna dos painéis ou cubículos de medidores

Verificação dos cabos dos bornes de entrada dos painéis ou cubículo até a chegada nos medidores.

Verificar todas as constantes e parâmetros envolvidos no SMF

Nesse momento é checado a bitola de cabos, modelos de medidores e relações de transformação dos Tis.

Programar os códigos de identificação dos medidores fornecidos pela CCEE

Nessa etapa, o código CCEE é programado no medidor. Este código é único de cada ponto de medição e é composto por 13 dígitos + o dígito que identifica se o medidor é principal ou retaguarda. Sendo assim, cada medidor é parametrizado com um código de 14 dígitos.

Verificar a programação dos medidores

É preciso checar e validar todos os dados parametrizados nos medidores (código CCEE, RTC, RTP, nome do ponto, comunicação).

Verificar a sequência das fases e dos valores das correntes e tensões

Inicialmente é identificado a posição de instalação de TCs e TPs e a partir daí é realizada a verificação do cabeamento que chega no painel de acordo com a sequência de fases. São analisadas as relações de transformações dos TCs, TPs e a forma de fechamento no secundário.

Realizar estudo fasorial das tensões e correntes, com o circuito energizado ou com fonte-padrão e do desenho do diagrama fasorial

É analisado de forma gráfica, pelo dagrama fasorial, as amplitudes de tensão e corrente, sequenciamento de fases e defasagem angular.

Verificar a calibração dos medidores mediante ensaio monofásico ou trifásico (realizada em campo ou em laboratório com rastreabilidade comprovada pelo INMETRO) no período do comissionamento do SMF, conforme as condições e limites para o ensaio de exatidão do Anexo B (B5.3 e B5.4) do Regulamento Técnico Metrológico (RTM)

Todos os medidores de faturamento devem ter sua calibração válida durante o comissionamento do SMF. A validade do certificado de calibração desses medidores é de cinco anos, a contar da data de emissão do certificado conforme submódulo 6.16 do ONS.

Medir a carga imposta aos TI, feita o mais próximo possível dos TI sob corrente e tensão de utilização, mediante o uso de instrumentos adequados de classe de exatidão melhor ou igual a 0,5

A realização dos testes de carga imposta objetiva certificar se a carga que o circuito secundário submete aos TCs e TPs está dentro dos limites de projeto especificados pelo fabricante destes instrumentos.

Executar a leitura inicial dos medidores

Quando o ponto de medição é colocado em operação, logo após o comissionamento é realizado a leitura inicial dos medidores.

Colocar os lacres em todos os pontos previstos

Os agentes envolvidos no comissionamento (conectante e conectado) devem colocar os lacres na caixa de secundários de TCs e TPs, caixas de interligação, chaves de aferição, bornes dos medidores e portas dos painéis.

Elaborar o relatório com todos os resultados do comissionamento

Todos os dados do comissionamento são compilados em um relatório que contém oito documentos. São eles:

1 – CARTA DE APROVAÇÃO

2 – BOLETIM DE CADASTRO

3 – CHECK LIST

4 – CERTIFICADO DE CALIBRAÇÃO DOS MEDIDORES

5 – DIAGRAMA VETORIAL DOS MEDIDORES

6 – ENSAIO DE CARGA IMPOSTA

7 – FOTO DA PLACA DO TC

8 – FOTO DA PLACA DO TP

Testar o funcionamento do canal de comunicação com a CCEE e o acesso aos medidores pelo sistema da CCEE

O teste é realizado pelo agente responsável pela implantação do SMF. Durante o comissionamento a equipe testa e garante o funcionamento da comunicação entre os medidores e o switch a qual se conectam.

 

O que se espera de um comissionamento é a validação de todas as etapas que envolveram a implantação do sistema e com isso assegurar o pleno funcionamento de cada componente. Caso seja encontrado alguma divergência relacionada ao projeto ou algum ponto – em qualquer momento do comissionamento – que não estão tecnicamente de acordo com o esperado, deve ser corrigido e realizado novas avaliações e testes.

Com um comissionamento bem conduzido e com a garantia dos testes realizados, o sistema de medição poderá entrar em operação de forma confiável, eficiente e segura.

SMF da Metrum

O processo para escolher a empresa que realizará o comissionamento deve ser feito de forma bem criteriosa, devido a importância do SMF para a operação de todo o sistema. A Metrum busca a todo tempo capacitar suas equipes para garantir que o comissionamento seja realizado de forma que o sistema seja confiável quando está em operação. Em 20 anos de atuação, a Metrum já comissionou milhares de sistemas de medição de faturamento e é referência na área de medição de energia elétrica e qualidade de energia no Brasil.