3 passos para a eficiência energética

3 passos para a eficiência energética

29 de janeiro de 2021 0 Por Lucas Oliveira

Atualmente, a eficiência energética é um tema recorrente na mídia, no mercado e na política, entretanto, ainda é um assunto vago. Assim, para que se consiga extrair ao máximo o que ela pode oferecer, o objetivo deve ser divido em três passos sequenciais¹. Sobretudo, é importante salientar que a difusão do conceito de eficiência energética deve-se a sua relação com a diminuição do uso de combustíveis fósseis em uma escala global, o encontro do ponto ótimo de produção (produção x consumo) nas indústrias e a redução da conta de “luz” nas casas. Agora conheça quais são os 3 passos para a eficiência energética.

Medir

A princípio, apenas o que pode ser medido pode ser melhorado, seja falando de energia elétrica, água, gás ou outro insumo energético. O primeiro dos 3 passos para a eficiência energética é a mensuração. Atualmente, com as novas tecnologias, existem medidores no mercado que podem atender a uma infinidade de demandas, contudo, frequentemente, a medição de energia é associada à energia elétrica. Portanto, os pontos importantes para se levar em consideração durante o projeto de medição e análise de algum ponto de consumo de insumos energéticos, são:

  • Definir qual o insumo a ser medido. A princípio podendo ser energia elétrica, ar comprimido, gás natural, etc.
  • Listar qual o foco principal da medição. Ou seja, estratificar o consumo por áreas específicas de uma planta industrial, detectar a razão para algum problema que esteja afetando a produção, detectar a localização deste problema.
  • Verificar a infraestrutura existente para a instalação do medidor. Por exemplo, em medição de energia elétrica verificar, se necessário, a existência de transformadores de corrente e tensão no ponto a ser medido e se existe espaço físico disponível para a instalação.
  • Verificar a necessidade e padrão de comunicação com o medidor. Com a chegada de novas tecnologias é recomendado utilizar padrões de comunicação universais e atuais.
  • Definir qual medidor atende à demanda e quais equipamentos periféricos serão necessários.
  • Contratar uma empresa especializada para validar os levantamentos e executar o fornecimento e a instalação.

3 passos para a eficiência energética: medidor

Gerenciar o que é medido

O segundo dos 3 passos para a eficiência energética é o gerenciamento de dados. A princípio, com os medidores instalados nos pontos principais e desejados, os dados de medição lidos podem ser gerenciados. O gerenciamento está relacionado ao ato de planejar, organizar, ler e priorizar informações com base nos dados recebidos². Isto pode ser feito de diversas formas, entre elas:

  • Caneta e papel (por muito tempo, essa foi a única opção). A medição era feita com os olhos e o gerenciamento em tabelas periódicas que mostravam a variação percebida.
  • Planilhas Excel. A leitura dos medidores é feita manualmente, muitas vezes dos visores dos medidores, e armazenada em planilhas. Com isso viabiliza um tratamento de dados mínimo e uma possibilidade inicial de geração de gráficos e cruzamento de informações para aprimorar o processo de decisão.
  • Softwares de gerenciamento de energia. A leitura dos medidores é feita de forma automática, por meio de protocolos de comunicação padrão³. O nível de versatilidade em termos de customizações e capabilidades dos softwares pode variar. No entanto, consegue-se visualizar as informações de forma centralizada e dinâmica, filtrando dados críticos e a tomada de decisão eficiente.

3 passos para a eficiência energética: Gerenciamento com Sistema SIGEMetrum

Agir a partir das informações obtidas

Agora falaremos sobre ações, o terceiro dos 3 passos para a eficiência energética, afinal as informações só podem ser ditas valiosas se com elas se tomem ações. Contudo, não devem ser tomadas indiscriminadamente.

Sobretudo, existem vários fatores influenciam a priorização e até mesmo a viabilidade delas, entre os eles estão:

  • Custo. Com o uso de um software de gerenciamento de energia, que um equipamento específico não está desempenhando suas funções adequadamente. A primeira decisão pode ser pela substituição do equipamento, porém, o aumento de produtividade da nova máquina paga seu investimento?
  • Impactos na produção. Uma ação pode requerer o desligamento de uma planta, gerando uma parada de produção.
  • Tempo de execução. Em termos de resultados, uma ação pode demorar para ser executada ou para ser percebida.
  • Equipe. É necessário avaliar se a equipe disponível está capacitada para tomar a ação. Em muitos casos, é sugerido a contratação de profissional especializado.

3 passos para a eficiência energética: Gestor de projeto

Em conclusão, é necessário avaliar cada um dos pontos e estimar, com fórmulas e conhecimento prévio, quais ações darão o retorno substancial e mais rápido. Existem empresas especializadas nessa análise de retorno, sobretudo com base em bancos de dados de ações similares e especializações em áreas específicas e análises estatísticas, que podem agilizar o processo e gerenciar tais ações. Ou seja, a priorização das ações recai sobre um único fator que abrange todos acima: retorno sobre o investimento.

A Metrum oferece soluções em sistemas de medição para faturamento, aplicações em eficiência energética, qualidade de energia elétrica (QEE) e equipamentos de medição e testes, entre no nosso site e saiba mais.

 

Notas

¹No caso do consumo residencial, boas práticas. Por exemplo, placas térmicas para aquecimento de água ou placas fotovoltaicas para fornecimento, usar equipamentos com o selo do PROCEL classe A, e/ou apagar as luzes quando não houver necessidade já trazem um retorno substancial.

²No contexto dessa publicação, informações são o que se absorve de valor de dados brutos.

³O padrão de protocolos de comunicação varia entre os diferentes tipos de medidores e sistemas.