Como os Procedimentos de Rede do ONS garantirão o sucesso da implantação de um Sistema de Medição para Faturamento

Como os Procedimentos de Rede do ONS garantirão o sucesso da implantação de um Sistema de Medição para Faturamento

31 de maio de 2022 0 Por Enéas Cardoso

Os sistemas de medição para faturamento (SMF) têm como objetivo primordial o controle dos processos de contabilização da energia elétrica consumida ou produzida em um empreendimento em pontos de conexão específicos. A implantação de um SMF deve, obrigatoriamente, cumprir todos os requisitos estabelecidos nos Procedimentos de Rede do ONS, no seu submódulo 7.11 (Implantação do Sistema de Medição para Faturamento) para exercerem a sua finalidade de apresentar os resultados das medições apuradas com a máxima precisão e isenção de erros. Desse modo, proporcionando uma fatura de energia fiel e justa para que nenhuma das partes, tanto do lado consumidor quanto do fornecedor, se sinta prejudicada no contrato de compra e venda estabelecido. Essa relação deverá ser a mais honesta e transparente possível. Saiba neste artigo como os Procedimentos de Rede do ONS garantirão o sucesso de um SMF.

 

Implantando um SMF

O SMF é o sistema composto pelos medidores principal e de retaguarda (em determinados casos o seu uso é dispensável*). Além de contar também com transformadores para instrumentos (transformador de potencial TP e de corrente TC), canais de comunicação entre os agentes e a CCEE e sistemas de coleta de dados de medição para faturamento. A implantação implica no desenvolvimento das etapas abaixo:

 

1ª etapa: elaboração de um projeto executivo em conformidade à especificação técnica das medições para faturamento elaborada pelo ONS.

2ª etapa: pré-aprovação do projeto pelo agente conectado.

3ª etapa: montagem do SMF de acordo com as especificações de projeto.

4ª etapa: comissionamento do SMF conforme estabelecido pelos Procedimentos de Rede.

 

Uma análise crítica de todos os itens é uma ação indispensável para a garantia do cumprimento das normas estabelecidas pelo ONS. O agente interessado em instalar o seu Sistema de Medição para Faturamento obterá pleno sucesso na sua implantação, livre de medidas punitivas, multas e outras restrições futuras, principalmente, se contar com a consultoria de uma empresa especializada e habituada a executar projetos, definir os ativos (medidores, chaves de aferição, conversores de mídia, switches) e conhecer os caminhos da homologação.

 

Fornecedor qualificado

Primeiramente, contar com profissionais qualificados, como em qualquer outro tipo de projeto, é assegurar que o SMF a ser instalado operará dentro das normas que regem o SIN. Sendo assim, a contratação de empresas especializadas nesse tipo de serviço – como a pioneira Metrum Equipamentos de Medição que em 20 anos já entregou centenas de projetos –, é extremamente necessária.

Além do fornecimento do projeto executivo, a Metrum, nos seus atributos de empresa integradora da Schneider Electric, comercializa os medidores modelo PowerLogic ION8650, aprovados pelas Portarias Inmetro n.º 586/2012, n.º 587/2012 e n.º 520/2014, que os credencia como equipamentos aplicáveis à sistemas para faturamento.

 

Montagem e comissionamento de SMF

Outra etapa importante na implantação de um SMF é a sua montagem e o seu comissionamento. Ambos os serviços são oferecidos pela Metrum que mantém uma fábrica de painéis elétricos na sua unidade fabril e toda infraestrutura para comissionamento e ensaios (fontes para injeção de corrente, analisadores de energia, calibradores de medidores, detectores de fase) na sua própria fábrica e no local da medição, o que assegura a qualidade e elimina os riscos de uma instalação malsucedida.

Figura 1 – Linha de montagem Metrum de painéis para SMF

 

Sistema de coleta de dados de energia

As informações relativas ao SMF devem constar na base de dados do Sistema de Coleta de Dados de Energia – SCDE da CCEE. O sistema deve ser capaz de realizar o acesso aos dados da medição coletados de forma remota e automática, devidamente lidos e interpretados pelo SCDE. É atribuição dos agentes responsáveis pelo SMF o cadastro e a atualização de seus dados. Cabe à CCEE a análise, apuração e aprovação dos dados coletados.

O sistema deve possibilitar a realização de inspeções lógicas com acesso direto aos medidores de energia, proporcionando maior confiabilidade dos dados medidos. Os dados de medição são coletados pelo SCDE por ponto de medição e por período de coleta (intervalos de 5 minutos), tanto para medição de energia ativa (kWh) quanto para energia reativa (kVArh). Estes dados são então integralizados em períodos de uma hora para se tornarem compatíveis com o período de comercialização realizado na CCEE.

O sucesso da instalação do SMF

Após a observação e o cumprimento de todas as etapas tratadas neste artigo e estando a empresa aspirante à implantação de um Sistema de Medição para Faturamento munida de todos os equipamentos e sistemas secundários necessários, estará praticamente garantido o sucesso da implantação do seu SMF.

 

Fonte: Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) – www.ons.org.br.
(*) Para saber mais sobre os casos sobre os casos de dispensa de medidores de retaguarda, consulte o agente responsável ONS.