Economizar energia com eficiência. Um grande desafio.

A economia de energia sempre foi um tema exaustivamente tratado dentro de grupos e comitês estabelecidos pelas empresas. Nos últimos anos, o assunto ganhou ainda mais força e o fator econômico continuou sendo um dos principais desafios, entretanto, trouxe à luz outros pontos correlatos como a eficiência e a diminuição dos efeitos colaterais da produção energética – em destaque a emissão de gases poluentes ou causadores de efeito estufa e a degradação ambiental. Neste contexto, foram criados termos que se tornaram muito populares e que estão fora dos grupos especializados no assunto. As terminologias de engenharia (kWh, Demanda, Fator de Potência), que se restringiam ao âmbito tecnológico, cederam espaço a termos cotidianamente usados como toneladas de CO2, Gases de Efeito Estufa, produção limpa, a palavra “verde”, meio ambiente e socialmente responsável, muito presentes nos jornais, revistas e demais meios de comunicação. Atualmente, muitas comunidades em diversos países, passaram a rejeitar produtos que não ostentem selos certificadores de processos produtivos ecologicamente responsáveis.

Atenta a este novo cenário Produção X Consumo, a Metrum desenvolveu o SIGE, Sistema Integrado de Gerenciamento de Energia, que tem o propósito de atender aos consumidores e fornecedores de energia dos mais variados portes e áreas de atuação. Este sistema possibilita uma ampla variedade de instalações que vão de pequenas empresas a grandes grupos corporativos, nos setores comerciais, industriais, serviços e concessionários. O SIGE foi idealizado para executar normas, gerir políticas de racionalização e de economia e também contratos de compra e venda. Uma característica importante deste sistema é a sua capacidade de suprir informações aos setores técnicos e administrativos de gestão, controle e qualidade de insumos energéticos, sejam eles elétricos ou fluídicos (gás, vapor, água, ar comprimido, etc).

O SIGE é um sistema de gerenciamento de energia modular e flexível

O SIGE é um sistema modular que engloba uma extensa gama de funcionalidades, dependendo de cada empresa, seus objetivos, porte, capacidade ou interesse de investimento em gerenciamento, controle e gestão dos vetores energéticos que são aplicados em seus produtos e processos. De nada valerá um sistema que forneça dados ou controles globais que não possam ser aplicados na obtenção de índices individuais de cada atividade ou produto, dentro de uma grande empresa, como também não fará sentido fazer altos investimentos para produzir informações ou índices que não possam ser aplicados e deles retirar potenciais de melhorias de produtividade.

O SIGE poderá ser composto de equipamentos, softwares e pacote de serviços adequados a cada cliente ou projeto, e, por sua escalabilidade, às futuras necessidades de expansões de número de pontos de medição, inclusão de novas fontes de dados ou de funcionalidades, relatórios e telas, aproveitando todo investimento e engenharia anteriores.

Sistema de Gerenciamento de Energia Integrado

Os benefícios do SIGE

O gerenciamento de energia vai muito além do ponto de vista econômico, embora este ainda seja o principal objetivo das empresas. Gerenciar tem ganhado cada vez mais força e adeptos porque não se trata simplesmente da diminuição dos gastos. Muitas vezes, gerenciar é controlar algo que é finito, ou mesmo que tenha limitações tecnológicas, geográficas ou ambientais para crescer. Os impactos da produção de energia, mesmo das chamadas “Energias Limpas”, na verdade tratam das que menos impacto geram, e não das que não geram nenhum. Em muitos locais, é necessário aumentar as fontes de energia para que se tenha maiores ganhos de produção, porém, por vezes, ocorre que o aumento da geração de energia é impossibilitado devido às limitações de matrizes energéticas ou inviabilizado por fatores econômicos. Fora o caráter alarmista com o qual as empresas se deparam, existe ainda a consciência dos consumidores que cada vez mais cobram esta ótica dos fornecedores de seus produtos e serviços.

Assim, gerenciar é uma exigência global que independe do tamanho ou área de atuação das empresas ou instituições, do quão lucrativo ou do quanto a energia é significativa dentro de seu processo. As exigências em cadeia já começam a fazer parte do ciclo de produção, pois em várias situações de nada ou pouco resolverá que uma empresa procure como realizar o melhor uso da energia se seus fornecedores também não o fizerem. Neste contexto, as empresas têm buscado se adaptar a esta nova realidade otimizando gastos, por motivo de responsabilidade sócio–ambiental ou pela rejeição ou diminuição da demanda de seus produtos.

O SIGE propõe a forma mais adequada, rápida e econômica para que um projeto seja iniciado e mantido. Uma plataforma amigável que atenderá aos setores técnicos e administrativos, com sistemas trabalhando pela WEB, o que permitirá acessos remotos e locais, com servidores geridos por unidade ou por grupo empresarial. Sua instalação e manutenção, tratamento e gestão de dados são realizados de maneira simples – não necessitando de especialistas – o que permite seu uso tanto por grandes como por pequenas empresas, onde nem sempre um profissional especializado estará disponível.

Compatível com a Norma ISO 50001 – Gestão de Energia

A Norma ISO 50001 trata de Gerenciamento de Energia. Ela propõe que empresas possam estabelecer metas de racionalização de insumos energéticos e aplicá-las continuamente para a obtenção de melhores resultados. Esta norma é estruturada em um ciclo denominado PDCA (Plan, Do, Check, Act), ou seja, Planejar, Executar, Verificar e Agir. A rotina da norma consiste em planejar uma estratégia e objetivos para a racionalização de consumo, aplicar metas e verificar se elas estão sendo atingidas, agir para manter a economia crescente ou agir para estabelecer outras estratégias e objetivos.

Na ISO 50001, um sistema de medição, controle e gerenciamento de energia, ao contrário do que possa parecer, não é aplicado somente no ciclo de verificação (CHECK), mas sim em todas as quatro ações da norma. Na ação de planejamento (PLAN) se define uma linha base que será usada como referência para traçar os objetivos, como também cada ponto de medição ou índice de desempenho produtivo. Esta ação também auxilia na melhor escolha dos locais onde intervir e nas metas possíveis de serem alcançadas. O sistema pode ainda ser programado para criar índices de controle, facilitando a ação imediata em cada ponto (DO). A verificação (CHECK) será bastante facilitada pela interação das medições (ou índices) nos períodos pré e pós-implantação possibilitando adquirir novos subsídios para readequar ou manter os novos objetivos (ACT).

ISO50001

Racionalização de Consumo e Economia

O SIGE possibilita o gerenciamento dos insumos energéticos na sua forma mais estratificada possível. Utilizando as informações geradas pela ferramenta é possível identificar quais os setores da cadeia produtiva que demandam mais recursos energéticos e assim, determinar onde as políticas de eficiência e racionalização de consumo devem ter maior ênfase. Com a devida implantação do SIGE é possível realizar projetos de eficiência que possibilitam a economia de até 30% e o aperfeiçoamento das matrizes energéticas.

Gestão de Contratos de Compra e Venda de Energia

Utilizando o módulo de gerenciamento de contratos de energia do SIGE, o usuário pode acompanhar os patamares de consumo em cada um dos possíveis contratos a serem firmados com as concessionárias, bem como os custos relacionados, possibilitando assim, a escolha pela alternativa que lhe ofereça melhor relação custo/benefício.

Suporte para Reivindicação de Melhorias de Qualidade

O SIGE propicia uma análise completa dos índices de qualidade de energia, o que permite ao cliente a possibilidade de reivindicar o atendimento de todos os requisitos do PRODIST (Procedimentos de Distribuição) determinados pela ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica).

Gestão de Projetos de Eficiência Energética

A elaboração de projetos de eficiência energética tem se tornado cada vez mais comum no ambiente fabril. O SIGE é uma ferramenta que otimiza o consumo ao longo da cadeia produtiva e aumenta o incentivo em projetos de eficiência energética.

 

BOTAO